Minha vó sempre diz que a única certeza que temos na vida é a morte. Infelizmente ela está mais do que certa. Cedo ou tarde, todas as crianças acabam tendo que entender o que aconteceu, principalmente, com seus avós. No caso da Duda, como eu fui um pouco adiantada, talvez esse momento chegue antes através das bisavós (batendo muito na madeira aqui). Como explicar para a criança, sem aquela história de “virou uma estrela”? Mais uma vez a solução está nos livros (acho que já deu para perceber que recorro muito a este método).

Há pouco tempo me preocupei com isso e comecei a pesquisar livros que pudessem me ajudar a explicar esse acontecimento de forma que ela entendesse e sem inventar histórias. Eis que em um dos inúmeros passeios na livraria me deparei com um livro que me emocionou muito e me tocou: Menina Nina. O livro, escrito por Ziraldo, é baseado na história real da sua neta (Nina) que perdeu a vó Vivi (ex-mulher de Ziraldo).

No começo da história tem uma frase muito parecida com o slogan que eu acho o mais lindo de todos (da Johnson’s Baby “Quando nasce um bebê, nasce também uma mãe”), Vivi diz que quando Nina nasceu, nasceu também uma avó. Através de ilustrações coloridas que reforçam a idéia do texto, o leitor percebe a importância e a presença da vó na vida da menina. Quando se aproxima do momento triste, os desenhos vão diminuindo e perdendo o colorido, até que o vazio e a escuridão mostram ao leitor a dor e o sofrimento pela perda. Em uma linguagem leve e extremamente tocante, Ziraldo mostra duas razões para Nina não chorar. Aos poucos o colorido das ilustrações voltam para mostrar o retorno da alegria e da esperança.

A sutileza e delicadeza com que a história é contada emociona. As ilustrações tem um papel fundamental durante todo o livro e se mostram complementares ao texto para transmitir as emoções e sentimentos. O único problema é terminar de ler a história com a voz embargada, tocados pela emoção que o livro transmite, seja para crianças ou adultos. O livro é tão tocante, que já virou peça de teatro no início deste ano.

 

Talvez você também se interesse por esses posts

Mas por que, mãe?

Para acabar com a gritaria

Pais, leiam para seus filhos

Eu X Chupeta (Parte 1)

Anúncios