A vida imita a arte ou a arte imita a vida? Esse eterno dilema sem respostas é o ponto de partida para a minha dica de filme da semana. Tenho ido pouco ao cinema, então me atualizo – cinematograficamente falando – com os filmes que já saíram de cartaz. Esse é outro daqueles que é pra ver embaixo das cobertas, comendo pipoca e, de preferência, acompanhada. No meu caso, acho que a arte imitou a vida, já que esse filme é do final do ano passado. Bom, vamos à ele: Amor à distância.

Erin (Drew Barrymore) está terminando um período de estágio em um jornal de Nova York e conhece casualmente Garret (Justin Long). Apesar do receio inicial da moça (!), os dois acabam cedendo às afinidades e passam a se ver em uma relação com data pra terminar. Só que eles não contavam com o envolvimento e com os sentimentos que surgiram dessa “amizade colorida” (!!). Como Erin volta pra São Francisco, os dois passam a usar a tecnologia para manter a relação e encurtar a distância (!!!). Os problemas que todos os casais enfrentam de ciúme, problemas e dificuldades também surgem nessa difícil relação e a distância entre ambos acaba piorando a situação (quem já teve um relacionamento assim sabe BEM como é isso). Ver-se eventualmente é o suficiente para manter um relacionamento? (ó dúvida cruel…) É isso que eles começam a se questionar e tentam descobrir. Não vou contar mais para não perder a graça, mas vocês podem imaginar o que acontece com um casal que fica alguns meses sem se ver (ô…). E quando você divide a casa com outras pessoas? Uma irmã neurótica por limpeza e amigos engraçadíssimos completam os personagens desta comédia romântica.

Dá uma olhada aqui no trailer antes de correr pra videolocadora e colocar a pipoca no microondas.

PS: Qualquer semelhança é mera coincidência… 😉

Anúncios