Não sei vocês, mas eu sou uma criança grande. Quem me conhece sabe que eu acho graça de coisas bem babacas, riso sozinha, me divirto com pouco e adoro inventar. Então, nada melhor do que lembrar das coisas daquele tempo bom que não volta nunca mais e que a Carteira de Identidade confirmava que éramos criança… Começando pelas guloseimas, lógico.

Não importa quantas marcas façam suas versões e dêem seus nomes, pra mim tudo vai ser sempre Deditos.

Passei algumas tardes comendo esses Caramelos de Leite com meu avô…

Não havia lembrancinha de aniversário sem as Sombrinhas de chocolate.

Não houve quem comesse esse pirulito sem abrir a boca para os outros escutarem os estalinhos.

Minhas balas favoritas até hoje (se alguém encontrar e me comprar será muito bem recompensado). Adorava quando estourava e o recheio começava a efervescer…

O horror de todas as mães: Bala Soft! Não teve criança que não ouviu uma história trágica de alguma criança que havia sufocado chupando uma dessas.

Esse pirulito da Chupa Chups era uma fortuna e nem era tão bom assim, mas essa edição especial das Spice Girls vinha com figurinhas colecionáveis. Impossível não gastar a mesada inteira na hora do recreio.

Isso era uma nojeira, eu admito, mas era tão bom o gostinho… Muito chupei esse Push Pop (e guardei o restinho pra depois…).

Depois do chocolate Surpresa, era hora de ler o cartão que vinha com informações sobre os bichos.

E o que falar dos brinquedos da época? Como ficar em cima de um Pogobol??

E o que falar dos jogos o revolucionário Pense Bem?

Você é bom de memória? Vamos ver no Genius então…

E o Pirocoptero (ui!) que vinha com o pirulito? Hoje em dia um brinquedo com esse nome não seria politicamente correto.

E os brinquedos de madeira? Lembram do Pequeno Engenheiro? Ele resistiu ao tempo e aos brinquedos modernos e a minha filha adora brincar com ele.

Não conheço uma criança que não teve o Gravador Karaokê Gradiente

Na TV a TV Colosso anunciava que a hora do almoço estava chegando com um sonoro “tá na mesa, pessoal!”

E quem lembra daquele bebê fofinho que dizia “não é a mamãe, não é a mamãe”?! Saudade da Família Dinossauro.

Ele pegava seu gravador e começava com “era uma vez” e terminava com “direto do mundo da lua”. Lembram do programa?

Meu lado nerd se manifestando desde o começo… Eu ADORAVA as maluquices e explicações do Mundo de Beakman.

E que tal Nino, o menino de mais de 500 anos? Era o que acontecia no Castelo Ra Tim Bum.

Ela chegava numa nave, as roupas eram bregas, mas inegavelmente a manhã era da Rainha dos Baixinhos e do Xou da Xuxa. Não houve menina que não quisesse ser Paquita.

Teria mais um monte de coisas que eu poderia colocar aqui, mas dificilmente vocês chegariam ao final do post. Então, um Feliz Dia das Crianças para todos vocês, pois dentro de todos nós tem uma criança adormecida. Quem tem filhos aproveite para curtir o dia com eles!

Anúncios