De vez em quando tenho uns momentos “preciso ler clássicos da literatura”. Da última vez que entrei na Livraria Cultura estava num desses momentos. Eu estava lendo Casados com Paris e me dei conta que não havia lido quase nada dos grandes escritores daquela época. Hora de correr atrás do prejuízo! Eu vi recentemente o cartaz de uma nova versão do filme O grande Gastby com Leonardo Dicaprio e, devido a minha mania maluca de só ver o filme depois de ler, acabei comprando justamente o livro de Scott Fitzgerald. Depois de correr para ler, vi que o filme só estreia em 2013 (ALOKA). Fica aqui o cartaz para instigá-los.

A história se passa no verão de 1922, o próspero período pós Primeira Guerra Mundial. Quando Nick Carraway, o narrador da história, se muda para Long Island para tentar a vida em Nova York. Lá, ele conhece seu vizinho, o rico Jay Gatsby, homem de passado misterioso, que promove festas gigantescas em sua casa e é alvo de inúmeras especulações. Próximo a eles moram Daisy e seu marido Tom Buchanan, ex-atleta. O livro é uma crítica ao materialismo da burguesia na época e a falta de moral dos mesmos.

A recomendação foi do meu colega de trabalho e a história nos prende pela curiosidade de desvendar quem é a figura de Gatsby e de onde vem sua fortuna. Fácil de ler e curtinho é uma boa pedida para quem também está querendo conhecer um pouco mais sobre os clássicos da literatura.

“… um fato fundamental da vida é que qualidades como decência e dignidade são distribuídas aos homens com grande desigualdade ao nascerem.”

“Todos suspeitamos possuir pelo menos uma das virtudes cardeais, e esta é a minha – sou uma das poucas pessoas honestas que jamais conheci.”

“É uma grande vantagem não beber quando se está no meio de uma turma de beberrões. Você pode controlar a língua e, além disso, se você quiser, pode até incorrer em uma pequena irregularidade ou duas quando todos estiverem cegos de bêbados ou pelo menos tão embriagados que não dêem a mínima.”

“Não há intensidade de ardor ou de euforia que possa desafiar aquilo que um ser humano é capaz de armazenar em seu fantasmagórico coração.”

“E invariavelmente nos entristece contemplar com novos olhos qualquer coisa a que já estamos adaptados.”

“E me ocorreu que, no fundo, não havia diferença entre os homens, quanto a raça ou inteligência, tão profunda quanto a diferença entre um homem doente e um homem são.”

“O futuro já nos iludiu tantas vezes, mas não importa… Amanhã corremos mais depressa e esticaremos nossos braços um pouco mais além até que, em uma bela manhã…”

Livro: O grande Gatsby

Autor: Fitzgerald, F. Scott

Editora: L&PM Pocket

Páginas: 204

Preço médio: R$ 14,00

Anúncios